Talleres

Los talleres son una dinámica académica creada para la producción y el aprendizaje activo, que permiten la experimentación, la producción colectiva y/o el intercambio de experiencias en torno a una cuestión determinada.

 

Se desarrollarán en forma paralela a los Grupos Temáticos y Grupos de Interés. Los Talleres estarán abiertos a investigadores, docentes y estudiantes de pregrado.

 

*Por razones de fuerza mayor los taller "Tesis y proyectos de investigación en posgrado: revisión de posibilidades y limitaciones para su realización" y "Utilizando o Facebook para promover engajamento/empoderamento de grupos sociais" fueron suspendidos.


T1. Leitura Crítica para a Mídia

 

Esta oficina pretende levar à compreensão crítica sobre como o discurso utilizado pela mídia pode contribuir para formar a opinião pública. A proposta aqui apresentada visa oferecer aos participantes noções teóricas e práticas sobre os diversos mecanismos de construção da informação, seja por meio de conteúdo jornalístico, publicitário ou da ficção difundida nas telenovelas.

 

Coordinación:

Franciani Bernardes Frizera: franbernardess@gmail.com

Edgard Rebouças: edgard.reboucas@ufes.br

Maria Nazareth Bis Pirola: n.pirola@uol.com.br

Observatório da Mídia: direitos humanos, políticas, sistemas e transparência e do Núcleo de Estudos em Movimentos e Práticas Sociais Universidade Federal do Espírito Santo (Brasil)


T2. Políticas de comunicación con enfoque de derechos humanos

 

El taller se propone realizar una breve introducción a las políticas de comunicación con enfoque de derechos humanos, a partir del análisis de casos de países de la región y posteriormente la construcción colectiva de propuestas de políticas que den cuenta de los desafíos que se presentan en este ámbito y como las mismas contribuyen efectivamente a la inclusión a la equidad y al fortalecimiento de la democracia.

 

Metodología de trabajo:
Primer momento: analizar algunos casos (políticas, programas, estrategias y/o campañas de instituciones públicas de países de la región) que permitan identificar las tensiones y elementos del enfoque de derecho y la comunicación, y los factores que influyen en términos de restricciones y oportunidades para la toma de decisiones y la formulación de políticas de comunicación con enfoque de derechos.


Segundo momento: diseñar colectivamente una política comunicacional, una estrategia o plan de desarrollo que considere el enfoque de derechos, que sea viable, incorporando los principios de igualdad, participación y rendición de cuentas. Para este momento, se plantea la conformación de equipos de trabajo conforme a la cantidad de participantes.

 

Coordinación:

Corina Leguizamón: cleguizamon@ippdh.mercosur.int

Instituto de Políticas Públicas en Derechos Humanos (IPPDH) del MERCOSUR con sede en Buenos Aires Argentina.


T3. História Oral e Memória: perspectivas teórico-metodológicas para os estudos de Comunicação na América Latina Maria

 

Esta oficina se propõe a introduzir os participantes no uso da História Oral como elemento teórico-metodológico, analisando a problemática da memória e dos usos das fontes orais nas pesquisas em Comunicação. Serão discutidas as principais questões que envolvem a produção social de Memórias e a História Oral, como metodologia e técnica de pesquisa, ao mesmo tempo serão apresentados subsídios teóricos e práticos para o desenvolvimento de suas pesquisas. O objetivo é debater conceitos e estratégias para a análise de entrevistas que marcam esse campo. Assim, serão introduzidas noções de memória/esquecimento, temporalidade, identidade, imaginário e narrativas. Pretende-se, por fim, desenvolver reflexões sobre aspectos metodológicos, ampliando as possibilidades de escolhas assertivas para uma expansão dos horizontes da pesquisa.

 

Estrutura: 
a) Breve relato sobre História Oral.

b) História Oral enquanto metodologia.

c) Cultura e histórias de comunidades: uma busca por identidades.

d) Estudos de casos: exemplos de abordagens de fontes orais em pesquisas folkcomunicacionais.

 

Coordinación:

Érica de Oliveira Lima: merical@uol.com.br

Universidade Federal do Ceará (UFC), Brasil.

 

Elinaldo da Silva Meira: meira.elinaldo@gmail.com

Faculdade Paulus de Tecnologia e Comunicação (FAPCOM), Brasil.

 

Juliana Hermenegildo da Silva: jujuhermenegildo@gmail.com

 

John Willian Lopes: johnwillianlopes@gmail.com

Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Brasil (UFRN).


T4. Mídias sociais e jornalismo: monitoramento de conteúdo e de engajamento

 

A oficina tem como objetivo debater sobre a relação entre mídias sociais e jornalismo e orientar a elaboração de um plano básico de monitoramento de temas de interesse dos participantes, considerando a veiculação de conteúdo jornalístico e o engajamento do público. Utilizará como metodologia exposição/discussão de conceitos basilares, seguidos apresentação de modelos para que se proceda à elaboração do produto esperado.

 

Dinâmica
A oficina se desenvolve a partir da exposição/discussão de conceitos basilares para a elaboração da proposta almejada, quais sejam:


Mídias sociais: Com o acesso à web, redes sociais formaram-se em outro ambiente, no ciberespaço, ampliando-se por meio de mídias sociais (plataformas disponíveis em sites que promovem a constituição dessas redes), nas quais o debate pode obter um alcance e uma riqueza muito maior, pois há espaço para a postagem de comentários e novos  conteúdos, disponíveis a todo e qualquer membro da rede, correspondendo, obviamente, aos critérios de privacidade adotados pelo moderador ou criador do perfil.


Engajamento: Um estado de estar envolvido, ocupado, totalmente absorvido ou absorto em algo (ou seja, mantendo atenção), que gera as consequências de uma atração especial ou força de repulsão. Os indivíduos mais engajados vão se aproximar ou repelir um alvo quando mais valor for adicionado ou subtraído dele (HIGGINS; SCHOLER, 2009 apud MARRA; DAMACENA, 2012, p. 236-7). O material está disponível em http://www.regeusp.com.br/arquivos/2013.2.6.pdf


A segunda parte da oficina destina-se a elencar os elementos necessários à elaboração de um plano básico de monitoramento de conteúdo jornalístico, com base em modelos a serem apresentados aos participantes. Esta etapa é essencial para que se garanta o conhecimento prévio de termos e estruturas, tendo em vista a possibilidade de haver participantes que não tenham tido contato com elementos necessários à elaboração do plano.


Por fim, para elaboração do plano, será solicitado aos participantes que o façam a partir de temas de interesse no contexto de produções jornalísticas, sempre tendo como meta poder desenvolver, a posteriori, o monitoramento planejado. 

 

Coordinación:

Mirna Tonus: mirna@faced.ufu.br

Adriana Cristina Omena dos Santos: omena@faced.ufu.br

Ivanise Hilbig de Andrade: ivaniseha@gmail.com

Jornalismo/FACED/UFU – Brasil